Ecossistema de TIC conhece propostas dos candidatos ao Governo de Pernambuco

A série de sabatinas contou com a participação dos candidatos Maurício Rands (PROS), Dani Portela (PSOL), Julio Lóssio (Rede), e Armando Monteiro (PTB).

 

Quatro candidatos ao Governo de Pernambuco participaram da tradicional série de encontros com empresários e representantes do ecossistema de tecnologia do estado. Os debates foram promovidos entre os dias 19 de setembro e 1º de outubro, pelo Porto Digital, Assespro PE/PB, SoftexRecife e Seprope, no auditório do Apolo 235, Bairro do Recife. Nos bate-papos, que contaram com transmissão ao vivo pelas redes sociais, os postulantes ao cargo apresentaram suas propostas e visões sobre o setor de TIC, empreendedorismo e inovação, além de responder perguntas dos presidentes das entidades, empreendedores e do público que interagiu pela internet.

 

A série de debates foi aberta por Maurício Rands (PROS), sendo seguido por Dani Portela 50 (PSOL) e Julio Lóssio (Rede), fechando com o senador e candidato ao Governo do Estado, Armando Monteiro (PTB). Nos encontros, cada postulante teve cerca de 30 minutos iniciais para expor suas propostas e projetos para o Estado e para Polo de Tecnologia da Informação e Comunicação, assim como expor sua visão sobre o ecossistema. Depois, eles foram sabatinados por Chico Saboya (Porto Digital), Italo Nogueira (Assespro-PE/PB), Alcides Pires (SoftexRecife), Gerino Xavier (Seprope), e Leonardo Guimarães (NGPD).

 

Para Alcides Pires, presidente do SoftexRecife, as sabatinas serviram para fazer os candidatos conhecerem melhor o que é a política pública do Porto Digital, saberem dos resultados já alcançados e ainda obter deles compromissos pela continuidade, melhoria e ampliação do ecossistema. “Esse diálogo é importante durante toda a gestão, mas a campanha é um momento de reflexão, de compromissos e conversas. Foi isso que fizemos. Os encontros foram muito positivos. Todos mostraram uma excelente percepção da importância do Porto Digital para a economia de Pernambuco”, avaliou.

 

Pires ainda ressaltou que as conversas realizadas sempre podem se rever em ganhos para o polo de TIC, independente do resultado das eleições, no dia 7 de outubro. “Agora, não importa quem é o vencedor do pleito, importa é que são pessoas de alto nível e elas continuarão na vida pública independente do cargo que ocupem e sempre podem contribuir de alguma forma para que o ecossistema continue crescendo”, concluiu.

 

O atual governador de Pernambuco e candidato à reeleição, Paulo Câmara (PSB) foi convidado a participar da sabatina, mas não pôde comparecer por questões de agenda. Os encontros foram realizados no Apolo 235 e eram exclusivamente para os empresários do setor. Contudo, o público pôde acompanhar tudo ao vivo pelas redes sociais e quem perdeu ainda confere os vídeos do evento na íntegra na página do facebook do Porto Digital.

 

 

Cconfira abaixo o currículo de cada candidato e o resumo da exposição feita por cada um deles:

 

Maurício Rands (PROS) – Advogado e professor de Direito, com Ph.D na universidade de Oxford (Reino Unido), Rands foi deputado federal por três mandatos consecutivos, atuou como secretário de Assuntos Jurídicos da Prefeitura do Recife, de 2001 a 2002, e como secretário de Governo do Estado de Pernambuco, de 2010 a 2012. Há cerca de um ano, antes de entrar na disputa eleitoral, estava trabalhando na Organização dos Estados Americanos (OEA), como secretário de Acesso a Direitos e Equidade.

 

Exposição do candidato: Maurício Rands destacou que três ideias baseiam a sua plataforma, a partir do documento Pernambuco até 2035. A primeira é “Pernambuco precisa ter um projeto de Estado para o desenvolvimento”. O candidato afirmou que o Estado vive um modelo de desenvolvimento que sufoca a inovação e o empreendedorismo e sua proposta é criar uma modelagem para as licitações em que as empresas pernambucanas possam disputar e ocupar mais espaço nas contratações do Governo do Estado.

 

“Pernambuco tem hoje uma visão que asfixia o empreendedorismo. A lógica é fazendária. O governo é burocrático. Isso precisa mudar em Pernambuco. Vamos romper com essa lógica e criar um ambiente favorável ao investimento. Quero fazer essa pactuação com o Porto Digital, se me couber a honra de governar Pernambuco, vocês (ecossistema) vão ter que estar muito junto, vão ter que estar muito estimulados a propor soluções criativas para integrar a logística, saúde, soluções para educação, segurança, etc. Um ambiente de inovação tecnológica é estratégico para tirar Pernambuco dessa tragédia”, disse.

 

Julio Lossio (REDE) – Médico oftalmologista formado pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), ele realizou o primeiro transplante de córnea do interior do Nordeste. Foi eleito prefeito de Petrolina pelo PMDB por duas vezes, exercendo os mandatos no período de 2009 a 2012 e 2013 a 2016. Seu governo se destacou pela regularização das contas públicas e a realização de grandes programas na área habitacional e na educação infantil.

 

Exposição do candidato: Julio Lossio propôs fazer a aproximação do ecossistema de TIC de Pernambuco com outros polos econômicos do estado, estimulando a criação e o desenvolvimento de startups. Também afirmou que, se eleito, demandará para o parque tecnológico os problemas enfrentados pelo Governo de Pernambuco nas mais diferentes áreas (saúde, educação, etc) para que as empresas do ecossistema possam criar soluções inovadoras.

 

“Pernambuco tem alguns polos importantes: Polo do Araripe (97% do gesso está lá); Polo do Sertão Central (distribuidoras); Polo industrial de Suape; Polo de Confecções que representa 15% do PIB de Pernambuco; Polo Médico e o Porto Digital. A minha ideia como governador para os polos é integrá-los”, disse. “Minha ideia para vocês [ecossistema do Porto Digital] é também a que eu tive em Petrolina. Eu demandei para as startups necessidades públicas para serem resolvidas. Por exemplo, o programa do agente comunitário de saúde de Petrolina foi feito por uma startup local que monitora eletronicamente as fichas e prontuários dos agentes. Tem muita coisa nesse sentido para ser feita em Pernambuco”, complementou.

 

Dani Portela – Advogada, historiadora e professora, é formada pela Universidade Católica de Pernambuco com mestrado em arqueologia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).  Participou de grupos de estudos políticos ainda adolescente e fez parte do Diretório Acadêmico de História, durante a graduação. Tanto na área acadêmica quanto na atividade política, se debruçou sobre as questões de gênero e violência. Hoje é advogada, além de historiadora, atuando junto ao movimento sindical, principalmente com sindicatos da área de educação.

 

Exposição da candidata: A candidata reconheceu o papel importante do ecossistema do Porto Digital na revitalização do patrimônio histórico do Recife e apontou o setor como essencial para o desenvolvimento econômico e social do estado. Como desafios a serem superados se eleita, Dani Portela pontuou a necessidade de ampliar os investimentos na área, aprimorar a legislação para que não se torne um empecilho à criação de tecnologias, um modelo de desenvolvimento que incentive o aparecimento de startups em todo o estado e mais justiça tributária para as micro e pequenas empresas.

 

“A gente precisa descentralizar os investimentos. Eles têm que alcançar outras regiões e diminuir as desigualdades. Tem que descentralizar como forma dessas startups chegarem no estado todo, porque existe uma pluralidade e uma capacidade em cada região. É importante pensar uma parceria do poder público com as empresas do Porto Digital para promover justiça social. Uma mola para um estado mais inclusivo sócio e economicamente. Falo em um modelo de desenvolvimento que acolha a economia criativa e os grandes complexos. Mas, Pernambuco tem um potencial de geração de tecnologia e pode crescer mais”, colocou Dani Portela.

 

Armando Monteiro: De tradicional família política, Armando Monteiro é formado em Administração e Direito. Foi presidente do SIMMEPE, da FIEPE e da CNI, a Confederação Nacional das Indústrias. Nesse período, comandou as unidades SESI, SENAI e IEL do Brasil inteiro. Também encabeçou a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa. Armando Monteiro foi eleito Deputado Federal três vezes e Senador, em 2010, como o mais votado. Em 2015, esteve à frente do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, do Governo Federal.

 

Exposição do candidato: Armando Monteiro propôs a implantação de um governo digital, com um maior uso de tecnologia com objetivo de gerar eficiência na máquina pública e melhores serviços para a população. Também falou que pensa em modelos para possibilitar a maior presença de empresas locais e startups em compras governamentais, de forma a permitir a escalabilidade desses negócios. Sobre a crise fiscal, o candidato defendeu as reformas e alertou sobre a problemática do déficit do Regime Próprio de Previdência do Estado, que consome três bilhões de reais por ano dos cofres públicos.

 

“Temos o desafio de poder promover um avanço substantivo na criação de um governo digital, com duas visões, uma de gerar com mais eficiência da máquina e outras de melhorar a qualidade dos serviços públicos que, em última instância, é isso que se busca com o estado mais eficiente”, observou. “Temos que fazer esse ecossistema de excelência transbordar do seu próprio universo para que a sociedade de Pernambuco se aproprie dos ganhos socioeconômicos que decorram da melhor utilização dessa estratégia. O Porto Digital é o novo Pernambuco, é a face nova de Pernambuco”, finalizou.

Confira todos os informativos


Acompanhe nossa agenda de eventos, cursos e palestras!

Agendas de eventos

© SOFTEXRECIFE. Todos os direitos reservados.