Tech Talk debate o papel da tecnologia na área de educação

Programa teve como convidados Fábio Moraes (vice-presidente da Assespro e diretor comercial da Qualinfo), Laís Xavier (CEO das Mídias Educativas) e Luciano Meira (sócio fundador da Joy street)

 

O papel da tecnologia no setor de educação esteve no foco do programa Tech Talk, que foi ao ar pela TVJC no último dia 12 de junho, na página do Facebook do Jornal do Commercio. O programa explorou as transformações promovidas pela tecnologia na relação entre escolas, pais e alunos; os desafios enfrentados nas salas de aulas, além das possibilidades para o futuro. Em um bate-papo descontraído, o assunto foi debatido pelo vice-presidente da Assespro e diretor comercial da Qualinfo, Fábio Moraes; pela CEO das Mídias Educativas, Laís Xavier; e pelo sócio fundador da Joy Street, Luciano Meira.

 

Logo de início, coube a Fábio Moraes explicar o que são as Edutechs, startups ligadas ao segmento e que buscam multiplicar boas experiências de uso de tecnologia em unidades de ensino e até propor mudanças no modelo educacional. “As edutechs são as empresas de tecnologia que encaram o desafio da educação oferecendo soluções para os principais problemas que existem nas iniciativas privada e pública. Essas soluções de vanguarda, assim como as empresas de TI, buscam resolver os grandes problemas do nosso país”, detalhou Moraes.

 

Para Laís Xavier, cuja empresa trabalha com sistemas de gestão para desempenho, avaliação e comunicação entre a instituição de ensino, professores e pais de alunos, o setor ainda é bastante conservador, em especial na educação básica e no ensino superior. “Vemos os professores com muito receio de não dar conta do uso da tecnologia, assim como os gestores das unidades dizem que isso pode atrapalhar. Já os meninos usam muito mais e entendem as plataformas. Na verdade, temos que diminuir essa resistência, pois o ganho é muito grande quando se usa a tecnologia dentro do propósito correto”, pontuou.

 

Esse cenário também foi confirmado por Luciano Meira, da Joy Street que desenvolve plataformas digitais com uso de gameficação para aumentar o engajamento e melhorar o desempenho dos estudantes nos colégios. “As crianças hoje já nascem conectadas, então inserir o elemento da tecnologia não é nada disruptivo. Na verdade, a resistência é dos gestores de gerações anteriores. A criança se depara com a tecnologia e vivência isso de uma maneira fácil e rápida, o aprendizado é livre e estimula bastante o poder cognitivo e a imaginação dela”, colocou.

 

Meira também ressaltou que as unidades de ensino precisam focar mais em sua missão e usar a tecnologia no propósito de alcançá-la. “As escolas têm uma missão, um propósito que não pode ser ter tecnologias digitais. As tecnologias servem ao propósito da educação. Sua missão é criar cenários de aprendizagem para os profissionais do futuro? Se essa é a sua missão, então busque tecnologias que vão lhe apoia nisso. A escola é um jogo de equilíbrio. Se você não inova, não avança junto com as novas gerações”, complementou.

 

Apesar de ainda haver resistências na área, Fábio Moraes ressaltou que este é um segmento promissor para quem deseja investir na área e está disposto a buscar espaços tanto no mercado nacional como no internacional. “Esse setor ele é gigante e não tem limites territoriais. A gente pode ter soluções escaláveis e que atendam tanto o mercado local quanto o mundial de forma competitiva. Aqui, no Brasil, temos empresas e produtos muito interessantes”, afirmou.

 

Para o futuro, Luciano Meira citou como tendência o aprendizado adaptativo e o uso de inteligência artificial para potencializar o processo educacional. “Aprendizado adaptativo são algoritmos sofisticados que podem fornecer ao estudante – dentro de um processo de aprendizagem – informações mais interessantes dependendo do seu estilo de aprendizagem e desempenho. São plataformas que reconhecem a forma e a velocidade de um aluno, e são capazes de oferecer tarefas mais personalizadas”, esclareceu.

 

Teck Talk – Fruto de uma iniciativa da Assespro PE/PB, com o apoio do SoftexRecife, Seprope e Manguez.Al, o Tech Talk vai ao ar quinzenalmente às terças, às 15h30, pela TVJC (veículo de conteúdo audiovisual nas redes sociais do Jornal do Commercio). O bate-papo é transmitido ao vivo, durante cerca de 30 minutos, nas páginas do Facebook do NE10 e do JC Online. Quem perdeu alguma edição do programa pode acessar o conteúdo pelo portal NE10, pelas mídias sociais do JC e das entidades de tecnologia.

 

 

 

Acompanhe nossa agenda de eventos, cursos e palestras!

© SOFTEXRECIFE. Todos os direitos reservados.