Evento debate os cenários da economia e do setor de tecnologia para o ano de 2018

Sérgio Buarque, economista e sócio da Factta Consultoria, e Renan Hannouche, Chief Digital Officer da HostDime no Brasil apresentaram suas análises a um público de quase 40 pessoas

 

As perspectivas para economia brasileira e para o setor de tecnologia da informação no ano de 2018 foram o foco de um kick-off promovido pelo SoftexRecife, em parceria com a Assespro e o Seprope. Realizado no dia 23 de janeiro, o evento contou com a participação do economista Sérgio Buarque, professor da UPE e sócio da Factta Consultoria, e de Renan Hannouche, Chief Digital Officer da HostDime no Brasil. Eles fizeram as exposições sobre os cenários para um público de aproximadamente 40 pessoas no auditório do empresarial ITBC, no Bairro do Recife.

 

Com uma visão positiva, Hannouche fez projeções de crescimento para o setor de TIC no Brasil e no Nordeste, neste ano. Referência em inovação e integrante de uma das maiores companhias de Data Center e computação em nuvem do mundo, ele usa experiência empresarial e a realidade vivenciada na HostDime para embasar as análises. A multinacional, apesar da crise econômica do país, escreve uma trajetória bem-sucedida nos últimos 10 anos, inclusive com a implantação de um data center em João Pessoa (PB), no ano passado.

 

Hannouche falou que o mercado para tecnologia é enorme, repleto de grandes grupos empresariais e há muitas oportunidades a serem exploradas. Destacou também o papel importante exercido pelos polos de TIC da região, com capacidade de criar produtos inovadores de alcance global. Para ele, as companhias de tecnologia não podem se intimidar com a lentidão econômica atual, mas sim investir em boas estratégias de negócios, pois este segmento do mercado possui um alto potencial de expansão, tomando por exemplo a própria HostDime, que investiu cerca de R$ 50 milhões no novo data center e registrou forte crescimento das operações.

 

Já o professor da Faculdade de Ciências da Administração de Pernambuco da UPE, Sérgio Buarque apontou um cenário ainda difícil para a economia nacional este ano. Segundo ele, embora alguns indicadores sugiram a saída da recessão, a crise tem raízes profundas ligadas a problemas de dívida interna (que chegaria a comprometer quase 70% do PIB), além de estar conjugada com um sensível quadro político. Entre as dificuldades citadas está o déficit causado pela previdência social nas contas públicas.

 

Levando em conta sua experiência, Buarque revelou que a recuperação do Brasil – com a retomada da produção a níveis anterior ao da crise – deve levar um pouco mais de tempo do que se imagina. Com uma velocidade de escape menor e uma conjuntura política delicada, ele explicou para a plateia que naturalmente ainda se prolongará essa postura mais cautelosa na decisão dos investidores.

 

Acompanhe nossa agenda de eventos, cursos e palestras!

© SOFTEXRECIFE. Todos os direitos reservados.