SoftexRecife e IBM promovem bootcamp em computação cognitiva

O treinamento foi conduzido por especialistas da IBM para profissionais de tecnologia de 15 empresas participantes do projeto de criação da plataforma interativa do Paço do Frevo 

 

Para disseminar o conhecimento em computação cognitiva e criar um case de interação para o Paço do Frevo, o SoftexRecife promoveu, na última semana de setembro, um bootcamp para 16 profissionais de TI de diferentes empresas. O treinamento foi um mergulho no universo dessa nova tecnologia conduzido por especialistas da IBM. A capacitação é uma das etapas do projeto que visa entregar uma experiência de Inteligência Artificial aberta à sociedade pernambucana, além de difundir o conhecimento sobre essa tecnologia no ecossistema do Porto Digital e estimular a formação de um centro de estudos.

 

A iniciativa é fruto de uma parceria entre SoftexRecife, Assespro, Seprope, IBM, o centro cultural e 15 empresas de TI que apoiam a ação de forma voluntária, sem fazer uso de qualquer financiamento externo. Segundo o vice-presidente da Assespro, Patrick Gouy, o bootcamp foi uma mostra real que a IBM está investindo nessa parceria e no futuro do polo de TIC do Estado. “Essa é uma oportunidade única. Nosso grupo de trabalho já está rendendo frutos com a plataforma para o Paço do Frevo e para o Hub local. Afinal, o propósito do projeto é pulverizar o conhecimento de uma tecnologia nova e pouco usada no Brasil para todo o polo de TIC de Pernambuco”, afirma.

 

Gouy também pontua que o sistema de computação cognitiva Watson, da IBM, é hoje o mais completo do mercado e será muito positivo para o arranjo local que o uso dessa plataforma se consolide de forma parceira com as empresas. “A computação cognitiva é algo bastante novo e avançado. Será excelente para o Porto Digital dominar essa tecnologia, capaz de gerar novos negócios e atrair mais investimentos. Além disso, a capacitação representa o primeiro passo no sentido de criar um centro avançado de inteligência artificial aqui. A ideia já existe e estamos nos movimentando para torná-la realidade”, diz.

 

Ao longo da semana, quatro especialistas da multinacional norte-americana estiveram no Recife para repassar o conhecimento sobre o Watson. A capacitação seguiu o perfil hands-on e de alto impacto para a construção do conhecimento de forma mais rápida e eficiente que o ensino tradicional. Assim, o corpo técnico pode conhecer a fundo e experimentar as aplicações do sistema, começando a criar na prática as soluções, prototipar e realizar testes.

 

Os técnicos do projeto estão divididos em quatro equipes, das quais três são desenvolvedoras e uma que funciona como base de apoio de conhecimento sobre computação cognitiva. Cada umas das três equipes desenvolvedoras estão voltadas a produzir diferentes experiências de interatividade. Segundo o SoftexRecife, como ainda se trata de um momento inicial, está se investindo em produtos diferentes e verificando a viabilidade de cada um deles. Ao final do processo, pode-se ter as três experiências concluídas ou alguma pode ser descartada.

© SOFTEXRECIFE. Todos os direitos reservados.